VOLTAR AO TOPO

UseFashion Logo UseFashion Logo

Balanço DFB: segundo dia

Nomes como Weider Silveiro e Iury Costa passaram pela passarela do evento

Publicado em 11/05/2018, por Equipe de Pesquisa UseFashion

Para o segundo dia de Dragão Fashion, diversas foram as apostas apresentadas na passarela do evento. Inspirações que foram desde o romantismo até o futurismo puderam ser observadas nas coleções das nove marcas que compuseram o line-up do dia. Acompanhe os highlights de cada uma delas!


Weider Silveiro

Hand Lace

Intitulada Wild, a coleção da estreante Hand Lace, da estilista Edina Moreira, apareceu pontuada por um visual natural e artesanal. Além da moda praia, que contou com maiôs e biquínis de modelagens conservadoras, vestidos longos, conjuntos formados por calças com tops croppeds ou saias evasês, e macacões, foram algumas das principais peças. O ponto alto, porém, ficou por conta dos trabalhos de superfícies. Acabamentos desfiados, tramas de aspecto handmade e nervuras apareceram nas superfícies, acompanhadas de materiais fluidos com toque acetinado ou de apostas mais estruturados, possibilitando tramas e trançados de maior espessura. Para a cartela de cores, atente para tons profundos como marrom, bordô, azul e verde musgo, até mais claros como areia e off-white. Como complementos, sandálias de tiras finas, pulseiras e chokers seguiram as mesmas características vestuário. 

D’Aura

Contando com uma estética agender, a D'Aura, de Lucas Menezes, trouxe a sobriedade em evidência. Modelagens soltas e alongadas, trabalhando cortes assimétricos e desconstrução, direcionaram peças como blusas elaboradas, calças de cintura alta, vestidos soltos em comprimentos mídi, camisas e casacos alongados. Como forma de ornamentação, ajustes pontuais na cintura ou nos pulsos foram trabalhados com frequência, assim como as amarrações e os aviamentos funcionais, como zíperes amplos e cordões. Trazendo apenas o preto e o branco para a passarela, acessórios como óculos escuros, cintos-pochetes, rasteiras flats de cabedal amplo e tênis, seguiram dentro das mesmas tonalidades. 

André Sampaio

Valorizando um visual jovem, a coleção de André Sampaio trouxe uma abordagem futurista para o evento. Materiais com brilho, indo desde malhas com lurex até acetinados, chamaram a atenção em peças como jaquetas, minivestidos, vestidos mídis, bodies e calças esportivas, ressaltando um mix de produto bem variado. Com relação as silhuetas, modelagens ajustadas e comprimentos que variaram entre curtos e médios foram predominantes. Já nos detalhamentos, atente para os aviamentos como fivelas amplas, fitas contrastantes e recortes, sejam eles promovendo vazados ou combinando materiais. Óculos com lentes escuras, bolsas transversais e cintos largos, além dos scarpins de bico fino com aplicações, complementaram as produções.

Elo.Collab

O projeto que resultou da união entre a arquiteta Suyenne Lemos e as designers Evelyn Matthews e Monike Oliveira, trouxe para o DFB a coleção Manifeste seu poder: juntas nós podemos. Forte e emponderada, tanto roupas quanto acessórios serviram como uma forma de expressão feminina no evento. No vestuário, a monocromia do preto foi destaque nos bodies, vestidos longos e fluídos, macacões, blusas e calças flare. Aqui, valorizando a simplicidade das superfícies, atente para as sobreposições de materiais e transparências. As joias, por sua vez, ressaltaram os metais com banhos prata e em alto brilho. Colares elaborados, braceletes, arm bracelets e brincos alongados, despontaram com shapes irregulares, pingentes amplos, correntes e vazados. 

Fábio Caracas

Urbana e comercial, a coleção de Fábio Caracas trouxe cor e estampas para o evento. Coletes, T-shirts, calças amplas e casacos alongados despontaram entre as opções de produtos, com frequência ornamentados por estampas geométricas ou letterings localizados. Destaque ainda para a moda praia, representada por maiôs e sungas. Fazendo relação com esportes urbanos como skate, roller e ciclismo, um toque de esportividade também foi percebido através das leggings, calças com recortes laterais e regatas, além dos acessórios, como bonés, viseiras, cintos de amarração e pochetes. Trabalhos de superfícies, com recortes estilo patchwork pontuaram o denim, e a cartela foi complementada por materiais como nylon e acolchoados. 

Gisela Franck

Claridade, leveza e feminilidade. Esses termos parecem definir bem a coleção de Gisele Franck, que optou por produtos com silhueta fluída e cortes assimétricos. Ressaltando materiais de pouca gramatura e com bastante transparência, um tom minimalista foi percebido nos macacões, camisas, calças de corte reto, tops cropped e vestidos evasês. Destaque também para as propostas mais artesanais, como os crochês, promovendo um viés de maior rusticidade nas peças. Nas superfícies, recortes à laser, cortes florais e pontos de cor, como é o caso do amarelo e do violeta, serviram de ornamentação. 

Rendá

A Rendá, de Camilla Arrais, apostou no romance clássico. Peças que foram desde a lingerie, até uma moda festa extremamente elaborada puderam ser observados. Vestidos longos e curtos, juntamente com os conjuntos de top e saia foram as grandes apostas da marca, desenvolvidos em materiais como chiffon, seda e renda. Neles, a atenção ficou por conta dos trabalhos de superfície, envolvendo rendas com desenhos extremamente detalhados, e das aplicações de pedrarias e plumas. Vale mencionar ainda outros trabalhos com matérias-primas, como plissados e babados, juntamente aos acabamentos com franjas e aplicações, reforçando a feminilidade das peças. 

Weider Silveiro

Pautada pela elaboração, Weider Silveiro apostou em um visual irreverente para a temporada. Florais, listrados e poás contrastantes puderam ser observados em praticamente todos os looks, assim como as modelagens desconstruídas, porém de visual conservador. Entre as peças, casacos alongados, coletes, jaquetas, camisas e blusas de gola rolê trouxeram recortes, combinações de materiais e comprimentos alongados em evidência. Destaque para a cartela de cores pontuada pelo preto e por tons profundos de verde e azul. Nas produções, bolsas de mão amplas e modelos transversais pequenos despontaram com um visual clássico, assim como os brincos amplos. 

Iury Costa

Artística e contemporânea, a coleção de Iury Costa trouxe a amplitude como um ponto forte. Vestidos, jaquetas, conjuntos e calças ressaltaram uma estética despojada e com pegada jovem, pontuados por amarrações, aviamentos amplos e acabamentos desfiados. É interessante que o denim, sempre em lavagens claras, teve um papel importante tanto para as peças femininas quanto masculinas. Com uma abordagem relaxada, a alfaiataria também se fez presente, principalmente nos bottons. Nas superfícies, estampas geométricas e contrastantes chamaram a atenção. Por fim, acessórios como braceletes estruturados e óculos com armações coloridas finalizaram as produções. 

Imagens: Roberta Braga, Cláudio Pedroso e Pedro Brago.

Os comentários são via Facebook e é preciso estar logado para comentar. Os comentários são inteiramente de responsabilidade dos seus autores e não expressam, necessariamente, a opinião editorial do Grupo Use.


Carregando...

Top 5 posts mais lidos

@usefashion
Esta obra está licenciada com uma Licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.